TESTE BANNER

.

EMPRESAS

Tradutor

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Dia 31 de julho é o dia Mundial do Guarda-Parque


Em homenagem a esta data vamos conhecer mais sobre o guarda-parque.

De acordo com a Associação Brasileira de Guardas-parque, o guarda-parque é de grande importância na gestão de áreas de conservação. É o profissional preparado e capacitado para o trabalho dentro destas áreas, executando atividades de proteção dos recursos naturais e culturais, da biodiversidade local, além de contribuir na orientação do público e na segurança da área. Eles são o elo fundamental entre as políticas públicas de conservação e as comunidades locais que vivem próximas às áreas de conservação onde eles desempenham seu trabalho. Nos países do exterior são denominados Park Rangers ou Forest Ranger.
Os campos de caça na Idade Média eram áreas protegidas.

Um pouco de história...

Os primeiros guardas-parque surgiram com o estabelecimento das primeiras áreas de conservação, embora ainda sem esta denominação. Há mais de 2.000 anos, algumas áreas foram protegidas por decreto real na Índia com o propósito de proteger os recursos naturais. Na Europa, entretanto, se preservam áreas para caça por mais de mil anos.

A ideia de proteger sítios de interesse "especial" é universal na história, entre outras culturas, tradições comunitárias do Pacífico (os tapúes) e em regiões da África (túmulas sagradas). As origens das áreas protegidas datam do século XIX. Por volta de 1.810, alguns escritores e poetas saxões mencionam a conveniência de estabelecer áreas em que o homem e natureza convivam em algum tipo de equilíbrio. Gradualmente, a sociedade foi reconhecendo a necessidade de restringir o uso humano em áreas geográficas definidas, com exceção de atividades de lazer ou educacionais. Para estas áreas restritas haviam pessoas responsáveis pela guarda da área.

O primeiro Parque Nacional com designação legal foi criado em 1872, o Parque Nacional de Yellowstone nos Estados Unidos. Nesta época surge o termo guarda-parque como aquele responsável pela proteção do parque.

Atualmente a função dos guardas-parque é ampla, atuando no combate a incêndios florestais, pesquisa em campo,  controle de visitantes, Educação Ambiental, implementação de programas de conservação, informação cultural e científica para os visitantes, apoio à comunidades em caso de desastres naturais e vigilância e fiscalização.


Guarda-parque do Parque Nacional de Yellowstone
Guarda-parque instruindo crianças em uma visita.
Parabéns a todos os guardas-parque que exercem esta função em nosso país, em especial aos guardas-parque do Jardim Botânico Municipal de Bauru: Edson, Lucas, Marcos e Anderson.

Vejam alguns momentos de nosso guardas-parque no Jardim Botânico.

Acompanhando pesquisadores em atividade campo
Combate a incêndios no Jardim Botânico
Fiscalização  e denúncia de descarte de lixo
Equipe durante curso de manejo de animais silvestres
Análise de áreas a serem vistoriadas pela equipe
Equipe atual de guardas-parque do Jardim Botânico Municipal de Bauru



quinta-feira, 23 de julho de 2015

Descubra quais cidades possuem Jardins Botânicos

Você já viajou para alguma cidade que tem um jardim botânico? Sua cidade possui um jardim botânico?

Há uma ferramenta de pesquisa que permite descobrir se uma cidade ou país possui jardins botânicos. Para descobrir basta acessar o link do BGCI (Botanic Garden Conservation International) e procurar por cidades e países. Nele estão todos os jardins registrados: https://www.bgci.org/garden_search.php

No sistema de busca você pode ter acesso ao site do jardim botânico, endereço, telefone, descrição de atividades e outras informações.

Clique na imagem abaixo para ver com mais detalhes a distribuição dos jardins pelo mundo. Estão registradas 3.262 instituições.

Distribuição das instituições registradas no BGCI 
O Botanic Gardens Conservation International (BGCI) ou Conservação Internacional em Jardins Botânicos é uma organização não-governamental que promove a biologia da conservação e a educação ambiental voltada à proteção da biodiversidade vegetal. Localiza-se em LondresInglaterra, no Royal Botanic Garden of Kew (Jardim Botânico Real de Kew) e foi criado em 1987.
 
O BGCI atua em 120 países, apoiando e orientado redes e associações de jardins botânicos por todo mundo, como por exemplo a Rede Brasileira de Jardins Botânicos da qual o Jardim Botânico Municipal de Bauru está associado.

Quando for viajar para outras cidades do Brasil ou do exterior, acesse o site do BGCI para descobrir se a cidade que você visitará tem um jardim botânico.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Jardim Botânico Municipal de Bauru sobe de categoria na Rede Brasileira de Jardins Botânicos

Neste mês de julho, quatro meses após completar 21 anos, nosso Jardim Botânico recebeu um presente que veio em reconhecimento à dedicação e ao empenho de todos os funcionários. A Rede Brasileira de Jardins Botânicos elevou a classificação do Jardim Botânico de Bauru da categoria C para a categoria B. 

A reclassificação ocorreu durante a VIII Reunião da Comissão Nacional de Jardins Botânicos, realizada no Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, sede da Rede Brasileira de Jardins Botânicos do Brasil. A comissão levou em consideração a estrutura oferecida, a organização das coleções, a realização de projetos de pesquisas e educacionais, equipes técnicas e outros itens importantes conquistados nos últimos anos, por meio da análise de um documento de 170 páginas. 

Ao final do processo 12 Jardins Botânicos Brasileiros foram elevados de categoria.

Nesta semana recebemos o certificado de reclassificação para categoria B.



De acordo com o diretor Luiz Carlos de Almeida Neto“A notícia foi encarada como um verdadeiro presente e reconhecimento ao trabalho que vem sendo realizado por toda a equipe nesse espaço privilegiado de conservação das plantas, trabalho esse que conta com total apoio da administração municipal e dos parceiros através do projeto Amigos da Natureza".

O Jardim Botânico Municipal de Bauru, além de suas coleções mantém uma reserva com 280 hectares de cerrado, sendo uma das maiores reservas de conservação de cerrado do estado de São Paulo. 

Vejam alguns dados sobre nosso Jardim Botânico.
Fonte: Banco de dados do Jardim Botânico Municipal de Bauru. Foto retirada do Jornal da Cidade de Bauru.

Se você ainda não conhece o Jardim Botânico Municipal de Bauru não deixe de visitar.

Área de visitação
Coleção de plantas aquáticas
Mata nativa
Visitas escolares
Nosso Jardim fica na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, km 232. A entrada é pelo estacionamento do Zoológico Municipal de Bauru.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Em julho temos o dia Internacional de Proteção das Florestas

No dia 17 de julho é comemorado o Dia Internacional de Proteção das Florestas. A data foi criada pela ONU para sensibilizar a população sobre a importância das florestas na manutenção dos ecossistemas e no desenvolvimento sustentável.

No Brasil estima-se que 40% das florestas foram desmatadas, devido ao desenvolvimento urbano e da agropecuária, com algumas porções reduzidas a pequenos fragmentos. A destruição de florestas nativas trazem perda para a biodiversidade, aumento na taxa de espécies em ameaça de extinção, além de causar alterações no solo e no clima. 


Veja abaixo a distribuição das florestas pelo mundo.




No estado de São Paulo a cobertura florestal nativa ocupa menos de 4% do território do estado. Antes da colonização, estima-se que as florestas cobriam 81% do estado.



 
Você sabia?

A floresta amazônica é tão grande que gera, por meio da transpiração vegetal, uma massa de ar úmida, responsável por 50% das chuvas na região. Grande parte desta massa de ar acaba chegando até o estado de São Paulo, trazendo chuvas.

No estado de São Paulo a floresta mais conhecida é a mata atlântica. Infelizmente restam apenas 7% de vegetação nativa, devido à exploração de madeiras e ao cultivo do café e da cana-de-açúcar.

No interior de São Paulo temos a floresta estacional semidecídua com uma fisionomia semelhante à mata atlântica. O Jardim Botânico Municipal de Bauru mantém fragmentos desta mata em sua reserva.

Muitos rios têm suas nascentes em áreas florestais. Ao longo do curso dos rios as matas ciliares protegem as margens da erosão excessiva, reduzindo assim, o assoreamento. 


O dia 17 de julho é um dia de reflexão sobre os danos que as florestas do Brasil e do mundo estão sofrendo com o desenvolvimento descontrolado da sociedade, cuja pressão a estes ambientes naturais podem gerar alterações irreversíveis. Lute pelas florestas de sua cidade, estado e país.






sexta-feira, 3 de julho de 2015

Parceria com Lar Escola Santa Luzia completa 3 anos

No mês de junho completamos 3 anos de parceria com o Lar Escola Santa Luzia, na realização de atividades de monitoramento no Jardim Medicinal Sensorial. Esta parceria, que começou em 2012, já recebeu cerca de 1.920 visitantes de escolas das redes municipal, estadual e particulares, além de projetos sociais.

A atividade consiste em estimular os participantes a utilizarem os outro sentidos (tato, olfato e audição),os mesmos são vendados e guiados pelos deficientes visuais, que foram capacitados para monitoria. Além da exploração dos sentidos, os monitores abordam as características das espécies, aspectos etnobotânicos e medicinais das plantas. 

Este importante projeto foi possível graças à parceira realizada entre o Jardim Botânico Municipal de Bauru, Unimed, Associação Mulher Unimed-Bauru e Lar Escola Santa Luzia para Cegos. 

Parabenizamos todos os envolvidos neste importante trabalho!

Monitores do Lar Escola Santa Luzia e Equipe do Jardim Botânico Municipal de Bauru

Um dia de monitoria com alunos