TESTE BANNER

.

EMPRESAS

Tradutor

quarta-feira, 30 de março de 2011

"Jardim Botânico de Bauru: Uma grande oportunidade na realização de pesquisas." Estudo do manejo e regeneração de áreas degradadas

Mariana Ninno Rissi, aluna de mestrado do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista – UNESP de Botucatu, está desenvolvendo um projeto de pesquisa de sua dissertação no Jardim Botânico Municipal de Bauru.

O presente estudo tem como finalidade analisar a composição da comunidade regenerativa. Busca-se ainda fornecer subsídios à compreensão dos processos ecológicos envolvidos na regeneração natural de áreas de cerrado degradadas e no combate químico como alternativa viável ou não para o controle de plantas invasoras, além de contribuir para o conhecimento da flora do cerrado da região de Bauru.


Mariana Ninno Rissi (de chapéu), com colaboradores e funcionários do Jardim Botânico, foto do cerrado e vista aérea da área restituída.


Entrevista com a bióloga Mariana Ninno Rissi

segunda-feira, 28 de março de 2011

"Conhecendo os Jardins Botânicos brasileiros": Jardim Botânico do Instituto Agronômico de Campinas – IAC (SP), um Jardim Botânico agrícola

Em uma área de 720 hectares, dividida em Mata Atlântica, Cerrado, várzeas, cursos d’água e represas, fica a sede do único Jardim Botânico da cidade de Campinas, na antiga Fazenda Sta. Elisa do IAC, fundado em 1998.

Dentre suas principais atividades de pesquisa científica estão: O intercâmbio e a quarentena vegetal , a educação ambiental, o pré-melhoramento, a conservação de germoplasma de plantas econômicas exóticas e nativas e a preservação de áreas com vegetação nativa.

Em sua coleção possui recursos genéticos de mais de 5.100 espécies de plantas, com aproximadamente 41.000 acessos. Seu sistema de curadorias conta com 40 Bancos Ativos de Germoplasma de plantas agrícolas, além de coleções científicas como: Herbários IAC e IACM, Coleção Entomológica, Micoteca, Coleções de Rhizobium e afins.

Possui um site onde apresenta suas informações: http://www.iac.sp.gov.br/UniPesquisa/JNB/JNB/JBN.asp

terça-feira, 22 de março de 2011

No dia mundial da água, o Jardim Botânico Municipal de Bauru relembra suas origens

Você sabia que a área onde se localiza o Jardim Botânico Municipal de Bauru, está relacionada à história do fornecimento de água na cidade?

Nas primeiras décadas do século XX, a necessidade de ampliar o abastecimento de água na cidade levou o município de Bauru a adquirir uma área de 1040 hectares de terra, cortada pelo córrego Vargem Limpa. A escolha desse local deu-se pela presença de vasta área de mata nativa que protegia as nascentes do manancial e por seu afastamento de zonas de possível contaminação, como: campos cultivados e criações de animais.

Com o rápido crescimento da cidade, em 1940, o abastecimento de água foi transferido do córrego Vargem Limpa para o Rio Batalha, pois o volume de água fornecido pelo Vargem Limpa (foto) tornou-se insuficiente para atender a população e o desenvolvimento da cidade.

Décadas mais tarde, o município aproveita essa área de vegetação natural para a criação de um Parque Ecológico, que nos anos 90 se transformaria no Jardim Botânico Municipal de Bauru.

A água, além de ser um recurso natural essencial na vida dos seres humanos, animais e vegetais, foi fundamental para a criação do Jardim Botânico Municipal de Bauru. Aproveite a data para pensar sobre a importância desse recurso no dia-a-dia do homem e os benefícios que ela traz para nossas vidas.

Para saber a história completa do JBMB acesse o site: www.jardimbotanicobauru.com.br

sexta-feira, 18 de março de 2011

"Conhecendo os Jardins Botânicos brasileiros": Bosque Rodrigues Alves - Jardim Zoobotânico da Amazônia (Belém/PA)

O Bosque Municipal do Marco da Légua, como antigamente era conhecido o Bosque Rodrigues Alves, foi fundado em 25 de agosto de 1883. Idealizado por José Coelho da Gama Abreu - Barão do Marajó, que impressionado com o “Bois de Bologne” um tradicional logradouro parisiense, projetou para Belém uma réplica tropical.

Com 15 ha de floresta primária de terra firme preservada, bem representativa da flora regional. A grande maioria da vegetação é oriunda de mata virgem antiga e algumas plantas exóticas foram introduzidas. Para a Botânica Sistemática, o Bosque Rodrigues Alves tem uma variedade de plantas, algumas de enormes proporções, que, se plantadas hoje levariam muitas décadas para atingir o porte que tem.

Possui 309 espécies, das quais 94% são de plantas nativas. Dentre estas, há o predomínio de maçarandubas, andirobas e seringueiras, sendo esta última de grande importância econômica para a região, além das castanheiras-sapucaia, uma das maiores árvores da floresta equatorial.

O Bosque passou por várias reformas, sem perder a sua beleza cênica, nem a importância botânica e dendrológica que motiva a constante visitação de pesquisadores de várias partes do mundo e subsidia aulas práticas dos cursos ligados à biologia vegetal e animal.

Ao longo desses 127 anos, o Bosque Rodrigues Alves - Jardim Zoobotânico da Amazônia tem sido local de pesquisa e conservação da natureza, contribuindo para melhorar a qualidade de vida da população de Belém e reorientando a comunidade, por meio de ações de pesquisa, educação ambiental, lazer e turismo.

Para conhecer mais sobre esse espaço acesse o site http://www.belem.pa.gov.br/app/c2ms/v/?id=10&conteudo=2719











terça-feira, 15 de março de 2011

"Jardim Botânico de Bauru: Uma grande oportunidade na realização de pesquisas." Fique por dentro de mais uma pesquisa que vem sendo realizado no JBMB.

As atividades de pesquisa no Jardim Botânico Municipal de Bauru estão a todo vapor, diversos são os trabalhos que vêm sendo desenvolvidos por pesquisadores de Bauru e região.

Durante os meses de janeiro e fevereiro, a mestranda da UNESP de Botucatu, a Bióloga Raquel de A. Santos, e os colegas Moisés Guimarães, Eduardo Figueiredo e Walney Jorge realizaram visitas científicas noturnas à área de conservação do JBMB, para verificar o comportamento de algumas espécies de morcegos.

Todo esse esforço é devido ao projeto de pesquisa da bióloga Raquel, que desenvolve um trabalho de avaliação da riqueza de polinizadores de uma espécie de árvore chamada Bauhinia, conhecida popularmente como pata-de-vaca, que ocorre em um fragmento de cerrado pertencente ao JBMB.

A pesquisa realizada pela Raquel é de extrema relevância no campo da ecologia, pois possibilita medir o grau de perturbação dos fragmentos de cerrado, de acordo com a população desses animais presentes na área.

Confira o vídeo com a Raquel explicando sobre a sua pesquisa e as fotos do seu trabalho em campo.

sexta-feira, 11 de março de 2011

"Conhecendo os Jardins Botânicos brasileiros": Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas/ MG

Criado em 11 de outubro de 2003, o Jardim Botânico de Poços de Caldas ocupa uma área de 45 hectares, dentro dos quais, estão implantados trilhas interpretativas, coleções, centro de visitantes, laboratório, herbário e uma belíssima cachoeira.

A araucária é a árvore-símbolo da fundação, possuindo um espaço de mata só dela. O Jardim Botânico de Poços de Caldas realiza um trabalho de cultivo dessa espécie na Casa da Vegetação das Araucárias.

A fundação é responsável ainda pela conservação e gestão do Parque da Serra de São Domingos, com 260 hectares de extensão, situado sobre a borda de um vulcão extinto há milhões de anos.

Recentemente, a instituição foi enquadrada e registrada na categoria “C” de jardins botânicos, devido a sua estrutura, corpo de funcionários e trabalhos realizados. Parabéns ao Jardim Botânico de Poços de Caldas por essa conquista!

É possível conhecer mais sobre o Jardim Botânico de Poços de Caldas através do site: www.jardimbotanicopocos.org

sexta-feira, 4 de março de 2011

Projeto “Conhecendo os Jardins Botânicos brasileiros”

Em comemoração ao primeiro ano de existência do blog e do site, o Jardim Botânico Municipal de Bauru lança o projeto “Conhecendo os Jardins Botânicos brasileiros”.

O objetivo desse projeto é levar ao público, informações sobre os demais Jardins Botânicos que existem no país, com o intuito de divulgar os trabalhos que vêm sendo realizados por essas importantes instituições na conservação da biodiversidade vegetal e na área da educação ambiental e pesquisa.

Dessa maneira, elaboramos uma série de postagens que trará semanalmente informações sobre os jardins botânicos que aderiram ao projeto. Tomamos como referência para elaboração dos textos o livro “Jardins Botânicos do Brasil” do autor Evaristo Eduardo de Miranda, com publicação da Editora Metalivros.

Aproveitamos a oportunidade para agradecer aos Jardins Botânicos pelo envio de material e pela iniciativa de participar do projeto, e aos nossos seguidores e ao público em geral, por ter nos prestigiado nesse ano que passou. Nesse primeiro ano tivemos o acesso de mais de 130 cidades do Brasil e exterior.

Na próxima semana traremos informações sobre o Jardim Botânico de Poços de Caldas (MG).